MIKHAIL NAIMY

Mikhail Naimy nasceu em 17 de outubro de 1889, em Baskinta, uma aldeia no Líbano central, no sopé da montanha Sannine, a 1.500 m de altura, de onde se pode avistar o lado oriental do Mar Morto. Ele era o terceiro filho de uma família greco-ortodoxa simples, de cinco filhos e uma filha.

Após o ensino fundamental em Baskinta, numa das muitas escolas missionárias que foram erigidas nessa região pela Sociedade Real Russo-Palestina, ele ingressa, em 1902, no Instituto de Formação de Professores, em Nazaré. Em 1906, recebe uma bolsa para o Seminário Teológico em Poltava, na Ucrânia, onde estudou até 1911. Durante sua estadia na Rússia, pela qual cultivava um sentimento especial, conheceu a literatura russa, que leu com paixão, e que exerceu influência constante em seu pensamento e em sua obra. O minucioso diário que escreveu em russo durante esse período também mostra algumas das primeiras tentativas de escrever poesia e prosa nessa língua.

Em 1911, Naimy foi para os Estados Unidos, para estudar literatura e direito na Universidade de Washington, em Seattle, onde ficou até 1916. Após o término de seus estudos, mudou-se para Nova Iorque. Aí encontrou Khalil Gibran e fundou, com ele e outros imigrantes libaneses e sírios, a famosa “Pen Society”, cujo objetivo era tirar a literatura árabe de sua posição clássica de centenas de anos e levá-la para uma nova época, onde poderia desenvolver-se de maneira pura, fresca e moderna.

Em 1932, um ano após a morte de seu melhor amigo e companheiro, Khalil Gibran, e depois de vinte anos de permanência ininterrupta nos Estados Unidos, com exceção do período de um ano de serviço entre 1917 e 1918 durante a Primeira Guerra Mundial em acampamentos americanos na França, Naimy decidiu retornar definitivamente para seu local de nascimento no Líbano./p>

Ao retornar à fazenda da família em El Chakroub, no sopé da majestosa montanha Sannine, um local onde a natureza tem uma beleza encantadora, Naimy decidiu dedicar o resto de sua vida a desenvolver sua mensagem espiritual, que se evidencia de maneira notável em sua obra O Livro de Mirdad, escrito em inglês, o qual ele mesmo traduziu para o árabe depois. Publicado pela primeira vez em 1948 em Beirute, Líbano, com uma nova edição em 1954 em Bombaim, Índia, seguida de outra em 1962 na Inglaterra, ele até hoje é publicado regularmente. Traduções desse livro apareceram em quase todas as principais línguas orientais e ocidentais.

Naimy escreveu quase cinquenta e três obras de diversos gêneros literários. Ele sempre consegue, de modo admirável, unificar um realismo passageiro com uma elevada espiritualidade. Memoirs of a vagrant soul (Memórias de uma alma errante), Sunset soliloquy beyond Moscow and Washington (Solilóquio ao pôr-do-sol para além de Moscou e Washington), The last day (O último dia) e sobretudo sua autobiografia em três partes Sab’um (Setenta) também podem ser considerados, assim como O Livro de Mirdad, prosa espiritual moderna.

Naimy morreu em casa, aos noventa e nove anos, em 28 de fevereiro de 1988. Ele teve um funeral de Estado e foi enterrado perto de sua amada fazenda, no interior do sopé da montanha Sannine (a Escarpa Rochosa). Em sua lápide em forma de cruz está gravada uma citação de seu livro Solilóquio ao pôr-do-sol:

Sou tua criança, ó Senhor, e esta terra bela, rica e abundante, em cujo seio me puseste para dormir, é somente o berço de onde engatinho para ti. Texto curto

Nascido em Baskinta, no sopé do lindo Monte Sannine, Líbano, em 1889, Mikhail Naimy estudou em seu país, na Palestina, na França, na Rússia, em Poltava na Ucrânia e na Universidade de Washington, em Seatle, EUA.

Em Nova Iorque fundou, com Khalil Gibran, a New York Pen League, movimento que contribuiu para o renascimento da literatura árabe. Em 1932, após o falecimento de seu amigo Gibran, retornou a Baskinta, após ter vivido 21 anos nos EUA. Faleceu em 1988, com 98 anos. Naimy é um dos grandes pensadores e poetas do mundo árabe.