CATHAROSE DE PETRI

Servidora da Gnosis e orientadora realista dos buscadores: essa sentença característica de Catharose de Petri era para ela uma prática de vida diária, assim como também era sua divisa: “auto-esquecimento no serviço ao próximo é o caminho mais seguro e alegre para Deus”. A senhora Catharose de Petri sempre o repetia como conselho aos alunos que lhe eram confiados.

Catharose de Petri nasceu em 1902 em Roterdã, como Henriette Stok-Huyser. A partir de 1930, com apenas 28 anos, passou a dedicar-se integralmente à sua missão. Juntamente com o senhor Jan van Rijckenborgh, ela dedicou toda a sua vida à construção da Escola Espiritual da Rosacruz Áurea “a partir do nada”, como dizia. Escreveu muitas obras, totalmente sintonizadas com a Gnosis hermética e os ensinamentos da Rosacruz moderna, e por meio delas o leitor poderá receber muitos conselhos práticos para a senda.

Neste momento atual em que a humanidade reflete sobre seu futuro e seu objetivo fundamental, desejando não só compreender a essência da vida como também tomar em mãos o próprio destino, ela novamente pesquisa esses textos historicamente esquecidos que procuram despertar a sabedoria oculta em seu mais profundo ser.

Após o falecimento de Jan van Rijckenborgh em 1968, Catharose de Petri organizou um grupo para assisti-la na liderança da Escola Espiritual da Rosacruz Áurea. Um grande trabalho desenvolveu-se, e, desse modo, a Escola Espiritual estendeu seus núcleos para inúmeros países, onde a renovação de vida interior é colocada em prática do modo que Catharose de Petri esperava e como tão amplamente é descrito e esclarecido em suas obras. Portanto, quando faleceu, em 1990, ela tinha certeza de que seu trabalho continuaria.